Estamos mudando de site!
Para navegar no site antigo ou ver nossa lista de fundos: Acesse aqui

podcasts

Dicas da Semana – A inclusão começa por você 07/07/2023

Temos 3 datas importantes no calendário da Diversidade e Inclusão para serem celebradas no mês de julho:

No dia 14 é celebrado o Dia da Liberdade de Pensamento. A data lembra um dos princípios mais importantes da Declaração Universal dos Direitos Humanos: a liberdade de pensamento, que é a garantia do indivíduo de manter e defender a sua ideia ou posição em relação a um fato ou ponto de vista.

“A liberdade de pensamento é essencial para que haja democracia e um estado democrático de direito. É somente por essa via que as pessoas conseguem exprimir seus pensamentos, sentimentos e experiências, bem como seus modos de habitar o mundo”.

No Brasil, a liberdade de pensamento é assegurada a todos os cidadãos através da Constituição Federal de 1988.

Também no dia 14 de julho, comemora-se o Dia Internacional das Pessoas Não-Binárias. Este dia procura visibilizar a ampla diversidade de pessoas em todo o mundo que se identificam como não-binárias, bem como sensibilizar para os problemas e dificuldades que enfrentam diariamente.

O termo não-binária é um termo guarda-chuva para diversas identidades que se caracterizam fora do binário, ou seja, identidades que não são exclusivamente mulheres, nem exclusivamente homens. Estas identidades vão situar-se em diferentes formas de neutralidade, ambiguidade, multiplicidade, parcialidade, ageneridade, outrogeneridade ou fluidez. 

Da mesma forma que pessoas sabem que são mulheres ou homens, pessoas não-binárias também sabem quem são.

Comemorado no dia 25 de julho, o Dia Internacional da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha visa também denunciar o racismo e machismo enfrentados por mulheres negras, não só nas Américas, mas também em todo o mundo.

No Brasil, a data também é celebrada pelo Dia Nacional de Tereza de Benguela, que além de compartilhar dos princípios do Dia Internacional estabelecido em 1992, também tem o propósito de dar visibilidade para o papel da mulher negra na história brasileira, através da figura de Tereza de Benguela.

Tereza foi a líder do Quilombo Quariterê, localizado na fronteira do Mato Grosso com a Bolívia, e, por 20 anos, liderou a resistência contra o governo escravista e coordenou as atividades econômicas e políticas do Quilombo.

Lembre-se: a diferença está no detalhe, empatia é fundamental e sempre é tempo de mudarmos nossa forma de pensar e agir.

Aguarde, na próxima sexta-feira, mais dicas para você.

Conteúdos relacionados

As “Incentivadas” seguem firmes e fortes, e as “de infraestrutura”?
20/05/2024
As “Incentivadas” seguem firmes e fortes, e as “de infraestrutura”?

Todo alocador conhece os benefícios básicos de uma carteira bem diversificada, claro que...

Podcast 802 – Vivian Rio Stella: O que a comunicação diz sobre a cultura das empresas
17/05/2024
Podcast 802 – Vivian Rio Stella: O que a comunicação diz sobre a cultura das empresas

Na Unicamp, a trajetória de Vivian Rio Stella sempre seguiu a linha reta da pesquisa acadêmica:...

Quer saber mais?

Cadastre-se para receber informações sobre nossos fundos