diversidade

diversidade

Data

21/01/2022

Tempo de Leitura

5 minutos

Dicas da Semana – A inclusão começa por você 21/01/2022

Dicas da Semana – A inclusão começa por você 21/01/2022

Data

21/01/2022

Tempo de Leitura

5 minutos

Nesse mês de janeiro, temos uma data muito importante das comunidades LGBTQIA+ na luta pela Diversidade e Inclusão:Essa data foi instituída em 2004 com o objetivo de aumentar a conscientização sobre a letra T da sigla LGBTQIA+, que representa as pessoas travestis, transexuais e transgêneras.

Desde 2004, o cenário do país é o mesmo: preconceitoviolência e crueldade contra travestis e transexuais. De acordo com levantamento feito pela ONG Transgender Europe, o Brasil é o país que mais mata, em números absolutos, pessoas trans em todos o mundo.

Então, falar sobre transexualidade se torna cada vez mais complexo quando se vive numa sociedade munida de ódio e guiada por discursos conservadores, por isso esperamos que essa data ajude na nossa reflexão e revisão de preconceitos e vieses.

Trans é uma redução para dizer que a pessoa é transgênero, o que significa essencialmente que a criança nasce, tem um sexo reconhecido de acordo com a genitália, mas possui uma identidade de gênero que, ou é oposta a que corresponde à genitália, ou condiz com algo intermediário”, explica o psiquiatra Alexandre Saadeh, que há 30 anos trabalha com questões de identidade de gênero.

“Essencialmente, uma pessoa é trans, portanto, quando nasce biologicamente homem, mas não se identifica assim, seja por se reconhecer como mulher ou, então, por se colocar em algum outro ponto dentro do espectro entre o masculino e o feminino — em geral, pessoas conhecidas pelo termo “não-binário”

Quando a pessoa se identifica com o sexo biológico se utiliza o termo “cisgênero”.

Questionado sobre qual é a diferença entre ser trans e ser gay ou lésbica, o psiquiatra explica que há uma divisão muito importante nessa seara, entre o que é identidade de gênero e o que é orientação sexual. 

“É uma divisão didática e acadêmica, sendo identidade de gênero a forma como a pessoa se identifica e a orientação sexual como o desejo que a pessoa manifesta por um determinado sexo”, explica. Portanto, um homem trans que se atrai por mulheres é considerado heterossexual, apesar de ter nascido biologicamente mulher.

Lembre-se: a diferença está no detalhe, empatia é fundamental e sempre é tempo de mudarmos nossa forma de pensar e agir.

Aguarde, na próxima sexta-feira, mais dicas para você.

Conteúdos relacionados

...
12/08/2022
Podcast 710 – Diego Escosteguy: Os desafios do jornalismo na era da economia da atenção 

De uns anos para cá, a imprensa tradicional passou por mudanças significativas, como a...

...
12/08/2022
Dicas da Semana – A inclusão começa por você 12.08.2022

Hoje separamos algumas dicas de livros bem divertidos, que falam sobre diversidade, com uma...

Quer saber mais?

Cadastre-se para receber informações sobre nossos fundos