Estamos mudando de site!
Para navegar no site antigo ou ver nossa lista de fundos: Acesse aqui

artigos

Dicas da Semana – A inclusão começa por você 22/10/2021

Hoje vamos falar sobre um assunto muito importante dentro da Diversidade e Inclusão:

Comunicação inclusiva é a necessidade de eliminação de barreiras na comunicação interpessoal, principalmente nas situações em que as pessoas precisam se manifestar para pedir ajuda, solicitar informações, ou explicar alguma coisa que está sendo solicitada. O objetivo é ampliar o ato comunicacional a fim de apresentar uma nova perspectiva sobre as diferenças entre as pessoas

Quando falamos em promover a comunicação inclusiva, estamos falando basicamente de garantir que uma mensagem seja passada e compreendida pelo receptor.

A comunicação inclusiva é a chave para o sucesso de uma empresa que trabalha com funcionários PCD. Estudos cada vez mais comprovam que a empresa inclusiva é significativamente superior nos resultados do que as empresas que ainda não implementaram a inclusão e, antes de qualquer coisa, devemos ressaltar que a empresa inclusiva não é somente aquela que adere ao que está estipulado na Lei de Cotas. 

Empresas inclusivas vão além da lei. Elas oferecem todos os tipos de acessibilidade necessárias, incluindo a acessibilidade comunicacional que, conforme seu próprio nome já diz, garante a comunicação inclusiva entre os funcionários, desenvolvendo um ambiente dinâmico e garantidor de igualdade e autonomia. 

A comunicação inclusiva não é só para os funcionários PCD, mas visa também o não constrangimento e entendimento da mensagem por todos, através dos princípios de Clareza, concisão e utilidade

Entender a razão para fazer algumas adaptações é tão importante quanto mudar.

Não acreditamos que essa será uma mudança fácil e muito menos, rápida. Então seguem algumas dicas:

  • Uso de ferramentas e recursos:

Para uma comunicação inclusiva e acessível, numa apresentação, sempre que possível, faça o uso de libras e faça vídeos com áudio descrição.

  • Remover o artigo em substantivos neutros e substituir plurais masculinos por termos genéricos:

             Os nossos clientes → Clientes da empresa 

             Os líderes do movimento → Líderes do movimento 

             Os homens → A humanidade | A população | O povo

             Os eleitores → O eleitorado

  • Acompanhar da palavra “equipe” ou “pessoa” adjetivos, cargos e profissões masculinos no plural:

              Desenvolvedores → Pessoas desenvolvedoras 

              Os desenvolvedores → Equipe de desenvolvimento 

              Os médicos → Equipe médica 

              Os designers → Equipe de design

  • Ao dar instruções, usar você ou vocês:

              Os passageiros devem desembarcar aqui. → Você deve desembarcar aqui

              O consumidor estará mais seguro se guardar a nota fiscal. →

              Você sentirá mais segurança se guardar a nota fiscal.

  • Reescreva toda a frase se ela pressupõe que a pessoa com quem se conversa é do sexo masculino:

Bem-vindo → Boas-vindas

       Ficou interessado? → Tem interesse? | Interessou-se?

       Fique atualizado → Se atualize | Continue se atualizando 

       Experiência do usuário →Experiência da pessoa usuária / Experiência de uso

  • Evitar o uso de “aquele que” e “aqueles que”, substituindo pela palavra “quem”:

              Aqueles que quiserem falar → Quem quiser falar 

              Forte é aquele que acredita → Forte é quem acredita

  • Não deixe margem para dupla interpretação.

Pensando em pessoas com deficiência, algumas delas tendem a ter uma interpretação mais literal do que estão lendo, por isso, manter uma linguagem direta, combinação da comunicação visual e textual, facilitam muito a leitura.

  • Utilize fonte e imagem de fácil compreensão. 

Pensando que na internet nós temos um número crescente de vários tipos de pessoas interagindo, precisamos nos adaptar e aumentar o tamanho de nossas fontes, deixar as imagens fáceis de entender.

  • Cuidado com os emoticons

Eles precisam ser muito claros com a mensagem que querem passar.   Algumas pessoas têm dificuldade de diferenciar as expressões dos bonequinhos e podem acabar confundindo uma carinha de ironia com uma de raiva, por exemplo.

Lembre-se: a diferença está no detalhe, empatia é fundamental e sempre é tempo de mudarmos nossa forma de pensar e agir.

Aguarde, na próxima sexta-feira, mais dicas para você.

Conteúdos relacionados

As “Incentivadas” seguem firmes e fortes, e as “de infraestrutura”?
20/05/2024
As “Incentivadas” seguem firmes e fortes, e as “de infraestrutura”?

Todo alocador conhece os benefícios básicos de uma carteira bem diversificada, claro que...

Podcast 802 – Vivian Rio Stella: O que a comunicação diz sobre a cultura das empresas
17/05/2024
Podcast 802 – Vivian Rio Stella: O que a comunicação diz sobre a cultura das empresas

Na Unicamp, a trajetória de Vivian Rio Stella sempre seguiu a linha reta da pesquisa acadêmica:...

Quer saber mais?

Cadastre-se para receber informações sobre nossos fundos