podcasts

podcasts

Data

01/10/2021

Tempo de Leitura

5 minutos

Podcast 665 – Xisto Vieira Filho: “Não existe risco de apagão neste ano”

Podcast 665 – Xisto Vieira Filho: “Não existe risco de apagão neste ano”

Data

01/10/2021

Tempo de Leitura

5 minutos

Ao longo dos últimos meses, uma dúvida passou a fazer parte do conjunto de preocupações relacionadas à economia e à sociedade brasileiras, a saber: haverá racionamento de energia neste ano? Em linhas gerais, a pergunta se justifica a partir da escassez de chuvas em 2021. E é para falar a respeito deste tema que o Podcast Rio Bravo entrevista Xisto Vieira Filho, presidente da Abraget, Associação Brasileira de Gestoras Termelétricas.

A atuação da Abraget é bastante técnica, com vistas a sedimentar as gerações térmicas em um sistema, o brasileiro, que tem características bastante especiais. Conforme explica Xisto Vieira Filho, a Abraget mantém reuniões constantes com todos os órgãos da área, do Ministério de Minas e Energia às empresas de pesquisa energética, passando pelo Operador Nacional do Sistema. “Nós apresentamos estudos e trabalhos e discutimos bastante, sob o ponto de vista técnico, as diretrizes do setor”.

Quisemos saber, então, se se confirma a impressão de que, neste momento, a Abraget tem sido bastante consultada, tendo em vista o medo do apagão. “Nós temos vários tipos de demanda, mas dois são básicos: aquelas atreladas à operação das termelétricas e aquelas ligadas à expansão – e de como as termelétricas se enquadram na expansão a curto, médio e longo prazos”.

Ao responder especificamente sobre o risco de apagão em 2021, Xisto Vieira foi categórico: “O risco de apagão não existe porque as térmicas estão respondendo bem. Agora, nós também temos de ver o nível de chuva. Então, qual é o limitador que nós vamos poder responder com relação ao ano de 2022? É o nível dos reservatórios no início de novembro”.

Quando se discute a situação da crise energética, não faltam comparações para com o ano de 2001, quando houve apagão. A experiência do presidente da Abraget aqui é importante: “Em 2001, eu tinha acabado de sair do ministério e o grande problema naquela época era que nós não tínhamos um grande parque térmico adequado; nós não tínhamos praticamente nada de geração a gás; e a diferença é que agora nós temos um parque já bastante razoável para monitorar a confiabilidade desse sistema elétrico brasileiro, o que envolve segurança, adequação, reservas controláveis e resiliência”.

Para uma parcela dos analistas políticos, a crise poderia ter sido evitada se houvesse uma ação mais expedita por parte dos integrantes do governo. Xisto Vieira, no entanto, não está tão convencido disso, conforme analisa a seguir: “É uma decisão difícil. Se a geração térmica fosse antecipada, hoje estaríamos em situação muito melhor. Agora, se há oito meses toda a geração fosse mandada para a base e chovesse desbragadamente no meio desse tempo, o que aconteceria? Eu teria aumentado o custo de geração e, com isso, jogado dinheiro fora”.

Em outro momento da entrevista, Xisto Vieira Filho fala a respeito do impacto das queimadas para a transmissão de energia. “As queimadas provocam desligamentos instantâneos nas linhas de transmissão, podendo causar blecautes e, com isso, derrubar o sistema. Dependendo das condições de reposição, é possível corrigir o que aconteceu em duas horas”.

É claro que, somando as economias todas, o resultado pode ser legal, mas é no caso de grandes consumidores que nós conseguimos efeitos mais rápidos, comenta o presidente da Abraget.

No final da entrevista, Xisto Vieira Filho explica por que o leilão A-5, que aconteceu na última quinta-feira, 30 de setembro, não teve muita procura. “É a menor demanda que eu já vi acontecer em leilão. Isso se explica por duas razões. De um lado, só entra mercado regulado. De outro lado, grande parte dos consumidores das distribuidoras está migrando para o mercado livre, de modo que a demanda por distribuidores está cada vez menor. Então, nós já sabíamos que o resultado seria muito pequeno”.

Em contrapartida, o entrevistado do Podcast Rio Bravo destaca que, em dezembro, haverá o leilão de capacidade, que não depende da demanda das distribuidoras, nem da demanda do mercado livre. Será um leilão de confiabilidade. “Este leilão é precedido de um estudo de confiabilidade feito pela EPE, e esse estudo determina quanto será preciso de geração carregada pelo sistema para manter níveis adequados”.

A íntegra da entrevista de Xisto Vieira Filho ao Podcast Rio Bravo pode ser acessada a partir do link acima.

Fabio Cardoso é jornalista e produtor do Podcast Rio Bravo.

Conteúdos relacionados

...
12/08/2022
Podcast 710 – Diego Escosteguy: Os desafios do jornalismo na era da economia da atenção 

De uns anos para cá, a imprensa tradicional passou por mudanças significativas, como a...

...
12/08/2022
Dicas da Semana – A inclusão começa por você 12.08.2022

Hoje separamos algumas dicas de livros bem divertidos, que falam sobre diversidade, com uma...

Quer saber mais?

Cadastre-se para receber informações sobre nossos fundos