podcasts

podcasts

Data

29/04/2022

Tempo de Leitura

5 minutos

Podcast 695 – Branca Vianna: A Rádio Novelo tem umas histórias que você precisa escutar…

Podcast 695 – Branca Vianna: A Rádio Novelo tem umas histórias que você precisa escutar…

Data

29/04/2022

Tempo de Leitura

5 minutos

O episódio desta semana do Podcast Rio Bravo traz a entrevista de Branca Vianna, co-fundadora e apresentadora da Rádio Novelo, a produtora de podcasts responsável pela série Praia dos Ossos e Crime e Castigo. Na entrevista, Vianna narra como foi que começou a se envolver com podcasts e traz os bastidores de duas atrações da Rádio Novelo. 

Logo no começo da entrevista, Branca Vianna revela que sempre gostou de produções em áudio. Seja no formato audiolivro, seja no tradicional formato em rádio. A seguir, a motivação: “Fui tradutora intérprete simultânea por 30 anos. Então, é muito útil poder ouvir outras línguas quando você trabalha dessa maneira – para você treinar os idiomas que não são falados no país onde você mora. Assim, você fica a par com o sotaque e aprende coisas daquele país que não necessariamente você descobre quando prepara um glossário técnico para uma conferência. Eu tinha uma coleção enorme de livros em fita cassete!”.  

Nesse sentido, Branca Vianna cita como referência a Europa e os Estados Unidos, não necessariamente por conta do formato podcast, mas no que se refere à estrutura narrativa de produções em áudio. “Na Europa e nos Estados Unidos, existe uma tradição muito forte de rádio pública, e isso facilita muito a criação de programas longos, uma vez que eles não dependem de intervalo comercial”. 

Já ao destacar os podcasts que atraíram a sua atenção, a cofundadora da Rádio Novelo menciona “This American Life”, que começou primeiro como programa de rádio e depois virou podcast. “A qualidade deles é incrível e é o que todo mundo quer: narração, arquivo, trilha, com histórias interessantes e surpreendentes”. Em espanhol, Branca Vianna fala, ainda, do podcast chileno “Las raras”, além do podcast argentino Anfíbia e da produção da Rádio Ambulante, comandada pela dupla Carolina Guerrero e Daniel Alarcón.  

Tamanha familiaridade com esse tipo de produção pode indicar que o caminho natural seria mesmo a produção de conteúdo original. Só que a ideia apareceu depois, quando, juntamente com Flora Thompson-DeVeaux e Paula Scarpin, decidiu criar a Rádio Novelo. E a ideia da produção de “Praia dos Ossos” surgiu quase que imediatamente. O propósito: contar a história de Ângela Diniz, da legítima defesa da honra e da virada do movimento feminista. Aqui, vale a pena explorar a história deste podcast que foi lançado em 2020. 

“Praia dos Ossos” traz a história do assassinato e do julgamento de Ângela Diniz, a socialite que foi morta pelo então namorado, Doca Street, réu confesso. Diferentemente do que se poderia imaginar, no entanto, Doca foi se tornou a vítima, uma vez que Ângela Diniz se transformou em culpada do próprio assassinato. “O sentido disso tudo era dizer que a morte estava nela, e não nele. Foi o comportamento dela que fez com que Ângela fosse assassinada”, explica Branca Vianna, que continua: “Isso foi muito chocante para o movimento feminista da época, que ainda estava bem no começo”. Graças à mobilização do movimento, foi possível virar a opinião pública contra a tese da legítima defesa da honra e conseguir a anulação do primeiro julgamento. Doca Street foi julgado de novo e, desta segunda vez, foi condenado. 

“Era uma história que pouca gente conhecia e a Ângela Diniz, uma pessoa muito carismática, mesmo depois de morta. Até hoje, as pessoas têm muita curiosidade quanto a ela, de querer ver fotos, de saber da vida privada. E ela era uma mulher diferente das mulheres da sua época, porque ela era branca, de elite, rica. E apesar de não se importar com política e não ser feminista, Ângela Diniz tinha um desejo de liberdade pessoal muito grande”, contextualiza Branca Vianna. 

Mais recentemente, a Rádio Novelo lançou o podcast “Crime e Castigo”, cujo tema remonta à produção de “Praia dos Ossos”, uma vez que a repercussão da série sobre o assassinato e a morte de Ângela Diniz provocou bastante repercussão junto aos ouvintes. O interesse inicial era produzir um podcast extra sobre punitivismo, mas outras questões começaram a aparecer. “O buraco era muito mais embaixo. O que é vingança? O que é reparação? O que é crime? O que acontece com as vítimas quando a justiça acontece do jeito que tem de ocorrer? E as pessoas que são presas, o que acontece com elas? Nós fomos investigar tudo isso”. 

Para Branca Vianna, o objetivo de “Crime e Castigo” é trazer as histórias para o primeiro plano. Nas palavras da entrevistada do Podcast Rio Bravo: “O que a gente quis foi pegar essas questões que são muito abstratas e trazê-las para a realidade. Encontrar casos para ilustrar esses temas abstratos na voz de pessoas que pensaram nesses temas, que fizeram uma reflexão”. 

“Praia dos Ossos” e “Crime e Castigo”, assim como as demais produções da Rádio Novelo, estão disponíveis a partir do link a seguir: https://www.radionovelo.com.br/ 

Já o episódio completo da entrevista de Branca Vianna ao Podcast Rio Bravo pode ser acessado a partir do link acima.

Fabio Cardoso é jornalista e produtor do Podcast Rio Bravo 

Conteúdos relacionados

...
12/08/2022
Podcast 710 – Diego Escosteguy: Os desafios do jornalismo na era da economia da atenção 

De uns anos para cá, a imprensa tradicional passou por mudanças significativas, como a...

...
12/08/2022
Dicas da Semana – A inclusão começa por você 12.08.2022

Hoje separamos algumas dicas de livros bem divertidos, que falam sobre diversidade, com uma...

Quer saber mais?

Cadastre-se para receber informações sobre nossos fundos